O presidente do Miami Heat, Pat Riley, foi multado pela NBA ao aliciar o astro LeBron James em uma entrevista para uma rádio na semana passada. Riley terá de pagar US$25 mil por violar as regras da liga por comentar sobre uma possível reunião de James com o Heat no futuro.

“Eu deixaria a chave embaixo do tapete se ele me ligasse e dissesse que está voltando”, disse Riley. “Eu faria isso, mas eu realmente duvido desta chave. Ela está enferrujada agora”.

James atuou pelo Heat entre 2010-11 e 2014-15, ao lado de Dwyane Wade e Chris Bosh, conquistando dois títulos em quatro finais consecutivas. Na época em que fechou com o time da Flórida, LeBron anunciou sua escolha em rede nacional, no infame “The Decision”, deixando o Cleveland Cavaliers. Após quatro anos em Miami, o jogador retornou para a equipe de Ohio, onde conquistou um título antes de ir para o Los Angeles Lakers, em 2018-19.

O ala, de 36 anos, que deverá retomar a camisa 6 na próxima temporada, utilizada na época do Heat, ainda possui contrato para mais duas temporadas com o Lakers. Em 2020-21, James obteve a sua décima sétima campanha consecutiva com, pelo menos, 25 pontos de média por jogo. Ele ainda garantiu 7.8 rebotes, 7.7 assistências, 1.1 roubada e converteu 36.5% dos arremessos de três, em 45 jogos disputados na fase regular.

“LeBron, veja, ele é um dos melhores de todos os tempos e, por quatro anos aqui, se ele quiser voltar e relembrar daqueles quatro anos, foram quatro anos em finais da NBA, quatro anos de empolgação, dois títulos. Foi a melhor época para o Heat. Então, eu desejo a ele nada além do melhor e, se ele ainda quiser voltar, eu coloco uma chave novinha embaixo daquele tapete”.