Paul George viveu um dos piores momentos da carreira na última temporada, mas, se a “bolha” já passou, as provocações dos adversários permanecem fortes. O astro do Los Angeles Clippers revelou que nunca foi alvo de tanto trash talking dos oponentes quanto nos últimos tempos, provavelmente pelas péssimas atuações em Orlando. O ala admitiu que o desempenho foi afetado por um quadro depressivo causado pelo isolamento. 

“Nunca fui um jogador de ficar falando em quadra, de brigas e confusões. Sempre houve paz enquanto estive em jogo, mas, por algum motivo, tenho ouvido muitas provocações nos últimos tempos de pessoas vivendo do passado. Eu tive uma temporada difícil, sim, mas essa é uma nova situação e mentalidade. Passou. E só quem fala pode dizer o que estão dizendo sobre mim”, afirmou o jogador de 30 anos, nesse domingo. 

George falou sobre o assunto após ter um bate-boca em quadra com os craques Devin Booker e Chris Paul, onde chegou a ser chamado de soft. A resposta do veterano veio com a bola nas mãos: ele liderou a vitória do Los Angeles Clippers diante do Phoenix Suns anotando 39 pontos, com sete cestas de longa distância. É assim que o titular angelino vai combater a desconfortável situação: não se deixando abalar. 

“Eu não ouvi meu nome ser citado nessas condições por uns dez anos e, depois do que aconteceu em Orlando, todos estão em meu ouvido. Eles pensam que é legal, divertido ver-me para baixo. Mas a última temporada foi a última temporada. Estou pronto para rebater tudo isso com o meu basquete. Estou preparado para competir contra quem estiver em minha frente”, reforçou o craque, na entrevista pós-jogo.  

George sabe que uma atuação não será o bastante para mudar a forma como todos os adversários o veem, mas ele avisa: o que dizem por aí não vai afetá-lo. “Eu não falo em quadra. Eu jogo. E, se os outros querem falar ao meu redor, tudo bem. Eles podem falar o quanto quiserem. Contanto que ajude o meu time a ganhar os jogos e saíamos com a vitória, isso é tudo o que importa”, encerrou o ala. 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook