O Los Angeles Clippers explorava o mercado atrás de um armador experiente desde o final da última temporada. E, após quase um ano, os angelinos finalmente conseguiram trazer o jogador que sempre pareceu ser o seu “sonho de consumo”. O veterano Rajon Rondo foi contratado pelo Clippers nos minutos derradeiros da janela de transferências da temporada e, para o astro Paul George, o novo colega chegou como uma liderança instantânea dentro do grupo.

“Rajon é um líder, um jogador que ouvimos o que diz e encaramos como uma referência para o nosso grupo. É uma figura importante no vestiário, que só ficará mais confortável com cada jogo, mas também alguém para nos cobrar uma postura vitoriosa diariamente. Ele é um cara com o peso para dizer o que precisa ser dito, exatamente no momento em que for necessário”, apontou o ala, um declarado fã do cultuado armador, em entrevista à ESPN na semana passada.

Um dos pontos principais que indicavam a necessidade de uma contratação como Rondo no Clippers era a falta de um criador natural para os (sobrecarregados) astros George e Kawhi Leonard. Até o momento, o elenco da franquia só tinha atletas de armação com características um tanto diferentes: pontuadores como Reggie Jackson e Lou Williams, além do defensor Patrick Beverley. George admite que a chegada do reforço funciona como um grande “alívio”.

“Com Rajon, eu acho que todos poderão poupar mais energia em quadra. Ele quebra as defesas, consegue infiltrações e chega ao garrafão para criar arremessos para todos ao seu redor. Vejo como uma relação muito parecida a que tinha com Russell [Westbrook, ex-companheiro de Oklahoma City Thunder]: ele vai ‘desequilibrar’ as marcações e gerar potenciais closeouts não só para mim, mas para todos”, explicou o craque, detalhando o impacto do reforço como criador.

Outro jogador animado com a contratação de Rondo é o também ala Marcus Morris: ele é irmão gêmeo de Markieff Morris, que foi campeão da NBA ao lado do veterano no ano passado atuando pelo Los Angeles Lakers. Foi o segundo título do quatro vezes all-star na liga, após ser o titular do Boston Celtics que levantou o troféu Larry O’Brien em 2008. Para o veterano ala, não resta dúvidas de que o Clippers conseguiu alguém que sabe o “caminho das pedras” até o título.

“Markieff não tem nada além de ótimas coisas a dizer sobre a influência de Rajon. Tenho certeza de que será uma tremenda ajuda simplesmente fazendo com que oportunidades sejam criadas para todos pontuarem, especialmente os nossos astros. Ele ainda sabe se posicionar defensivamente com esperteza. Acho que será um fator realmente importante em nossa missão de alçarmos um banner de campeão para o Clippers”, indicou um confiante Morris.

Mas, no fim das contas, o que o Clippers realmente precisa para ser campeão? O que se espera de Rondo? Isso é algo que ele pede mais do que quatro jogos para poder discutir com propriedade. “Não dá para dissecar algo assim, tão rapidamente. Quero aprender com os meus companheiros e técnicos antes de dar uma posição. Hoje, eu só posso dizer que estou feliz em estar aqui e pronto para seguir ajudando como for possível para alcançarmos nosso objetivo comum”, sintetizou.