A gestão de Troy Weaver nas operações de basquete do Detroit Pistons começou bastante agitada: o executivo iniciou uma reformulação no elenco da franquia com o fechamento de cinco trocas desde segunda-feira, quando foi reaberta a janela de transferências da liga. Entre outros movimentos, o Pistons acertou as aquisições de diversas escolhas de draft e veteranos com contratos “indesejados”, como Trevor Ariza e Dewayne Dedmon.

A chegada de Ariza foi diretamente ligada à estratégia de reformulação de elenco: a equipe do Michigan assumiu o contrato do veterano e recebeu a escolha de primeira rodada de draft do Houston Rockets – na 16ª posição geral, onde selecionou o pivô Isaiah Stewart –, cedendo uma futura seleção TOP 30 de recrutamento altamente protegida como retorno. O ala de 35 anos receberá US$12.8 milhões na próxima temporada, mas apenas US$7.1 milhões desse valor é garantido.

A equipe, em seguida, cedeu os contratos expirantes do ala-armador Khyri Thomas e do ala Tony Snell ao Atlanta Hawks para trazer Dedmon – que tem salário anual de US$13.3 milhões, mas só US$1 milhão deles será garantido para a temporada 2021-22. O pivô de 31 anos, porém, não deverá ter uma vida longa em Detroit. Segundo Vincent Goodwill, do portal Yahoo! Sports, a intenção de Weaver é trocá-lo novamente nos próximos dias.

Em uma semana, o trabalho e movimentos do gerente-geral mudaram o elenco do Pistons de forma radical. Só quatro jogadores do plantel permanecem com vínculos garantidos para a próxima temporada: o armador Derrick Rose, o ala-armador Svi Mykhailiuk, o ala Sekou Doumbouya e o ala-pivô Blake Griffin. É especulado ainda que o time tentará renovar com o pivô Christian Wood, um dos poucos destaques do plantel na última campanha.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Facebook