Confira a previsão para a temporada 2021/22 da NBA que o Jumper Brasil preparou sobre o Boston Celtics. A equipe passou por reformulação na diretoria, técnico e jogadores. Entretanto, o Celtics busca evoluir durante a campanha para ter chances de brigar no topo do Leste.

Boston Celtics

Quem chegou

Juhann Begarin (Draft)
Dennis Schroder (Agência livre)
Ryan Arcidiacono (Agência livre)
Bruno Fernando (Sacramento Kings)
Enes Kanter (Agência livre)
Josh Richardson (Dallas Mavericks)
Al Horford (Oklahoma City Thunder)
Juancho Hernangomez (Minnesota Timberwolves)

Quem saiu

Kemba Walker (New York Knicks)
Evan Fournier (New York Knicks)
Semi Ojeleye (Milwaukee Bucks)
Tacko Fall (Cleveland Cavaliers)
Tristan Thompson (Sacramento Kings)
Carsen Edwards (Agente livre)

Elenco

36- Marcus Smart: armador, 27 anos
71- Dennis Schroder: armador, 28 anos
11- Payton Pritchard: armador, 23 anos
7- Jaylen Brown: ala-armador, 24 anos
8- Josh Richardson: ala-armador, 28 anos
9- Romeo Langford: ala-armador, 21 anos
27- Garrison Matthews: ala-armador, 24 anos
0- Jayson Tatum: ala, 23 anos
26- Aaron Nesmith: ala, 21 anos
30- Sam Hauser: ala, 23 anos
42- Al Horford: ala-pivô, 35 anos
41- Juancho Hernangomez: ala-pivô, 26 anos
12- Grant Williams: ala-pivô, 22 anos
20- Jabari Parker: ala-pivô, 26 anos
44- Robert Williams: pivô, 23 anos
13- Enes Kanter: pivô, 29 anos
28- Bruno Fernando: pivô, 27 anos

Titulares

Marcus Smart
Jaylen Brown
Jayson Tatum
Al Horford
Robert Williams

Reservas

Dennis Schroder
Payton Pritchard
Ryan Arcidiacono
Josh Richardson
Romeo Langford
Garrison Matthews
Aaron Nesmith
Jabari Parker
Juancho Hernangomez
Grant Williams
Enes Kanter
Bruno Fernando
Juhann Begarin

Técnico: Ime Udoka

 

O “cara” da franquia

Jayson Tatum

previsão 2021/22 Boston Celtics

Brian Babineau/AFP

Jayson Tatum já é um super astro? Talvez, ele ainda não seja, mas está a caminho de tornar-se um. Seu salário, contudo, diz que ele já é. A partir da temporada 2021/22, o jogador do Boston Celtics tem a previsão de receber cerca de US$28 milhões. Um aumento justo, no fim das contas, pois aumentou seus números nas principais estatísticas a cada campanha em pontos, rebotes e assistências.

Tatum é, ainda, o jogador de confiança da franquia. Caso saísse uma oportunidade de negócio por uma outra estrela da NBA, as chances de ele ser o escolhido em troca são praticamente nulas. Porém, o atleta precisa largar a alergia dos rebotes contestados. Recentemente, o próprio jogador admitiu que essa seria uma de suas maiores falhas como profissional.

Na última temporada o atleta, de apenas 23 anos, registrou 26.4 pontos, 7.4 rebotes, 4.3 assistências e converteu 38.6% dos arremessos de três. A previsão para o líder do Boston Celtics na campanha 2021/22 é que vem muito mais por aí, entretanto.

Fique de olho!

Dennis Schroder

Maddie Meyer/AFP

Bem, Dennis Schroder, supostamente, teve a oportunidade de assinar um contrato de longa duração com o Los Angeles Lakers, mas teria recusado a oferta. Embora tenha sido noticiada a negativa da extensão, o alemão afirmou que jamais chegou a ver tais documentos em sua frente. Sem problemas, então. Após ver outros armadores fechando seus acordos na agência livre, Schroder foi ficando sem opções e, por fim, acertou com o Boston Celtics por um ano, no valor de US$5 milhões.

Sim, é pouco, pois Schroder recebia algo em torno de US$16 milhões no Lakers e buscava algo mais substancial. Portanto, espera-se que ele venha “com sangue nos olhos”, tentando, enfim, uma oportunidade bem mais lucrativa.

O ponto de interrogação

Josh Richardson

BRIAN BABINEAU/AFP

Quando Josh Richardson chegou em troca com o Dallas Mavericks, imediatamente foi imaginado que ele iria ser titular. Todavia, o atleta, um defensor versátil, tem oferecido pouco perigo aos oponentes na linha de três. Pensando nisso, Ime Udoka deverá utilizar Richardson vindo do banco, mas com minutos consistentes. Talvez, ainda, seja pela falta de profundidade do grupo de reservas.

Richardson, de 28 anos, é capaz, porém, de atacar mais a cesta do que vinha fazendo. Foram apenas cinco enterradas e dez and 1 (cesta e falta sofrida) em toda a campanha passada. Além disso, ele não é o melhor criador da própria jogada no ataque: 83% de seus arremessos de três vieram de passes.

O que esperar do Celtics em 2021/22?

O Boston Celtics passou por diversas mudanças dentro e fora das quadras, após a rápida eliminação nos playoffs de 2020-21. Primeiro, Danny Ainge deixou o cargo de GM e, agora, é ocupado pelo antigo treinador, Brad Stevens. Depois, o time contratou Ime Udoka para substituir um trabalho de oito anos comandado por Stevens. Por fim, o Celtics tratou de iniciar alterações no elenco.

Primeiro, o time trocou Kemba Walker para o Oklahoma City Thunder (negociado posteriormente para o New York Knicks). Em seguida, a equipe de Massachusetts trouxe de volta o veterano Al Horford e Enes Kanter, além de Dennis Schroder (ex-Los Angeles Lakers). Peças como Juancho Hernangomez e Josh Richardson chegaram em outras negociações. De fato, Stevens parece reformular o grupo de jogadores.

Na armação, uma incógnita. É possível que Schroder venha do banco de reservas, enquanto Marcus Smart seria o organizador principal. Dependendo do adversário, porém, é provável que Udoka utilize formações mais baixas. Assim, Jaylen Brown seria o ala-armador. Tudo isso pode mudar conforme o oponente, mas deixando clara a preferência por atuar com dois caras grandes (Robert Williams e Horford).

Ryan Arcidiacono, ex-Chicago Bulls, chega para brigar por minutos com Payton Pritchard. No entanto, se Schroder ganhar a titularidade, Arcidiacono e Pritchard poderiam ganhar mais tempo de quadra. O que, de fato, o Celtics vai fazer ali, certamente dependerá de vários fatores. De novo, entre eles, o adversário.

Alas e alas-armadores

Com Jaylen Brown como ala-armador, automaticamente o astro Jayson Tatum torna-se ala. É aquela formação mais alta, utilizada em boa parte da campanha passada. Brown vem de sua primeira seleção para o Jogo das Estrelas e crescendo de produção. Aqui, a ausência de Evan Fournier será sentida. Primeiro, porque o francês dava ao Celtics uma opção a mais no perímetro. Além disso, Fournier era um jogador que podia ajudar na organização e nos arremessos de longa distância.

Tatum, contudo, fez parte da seleção dos EUA nas Olimpíadas de Tóquio. Embora a offseason tenha sido encurtada mais uma vez, o camisa 0 teve tempo para descansar entre a eliminação e a disputa no Japão. Sem Brown, contundido, ele foi o único que se salvou das críticas, após ter feito 30.6 pontos, 5.8 rebotes e 4.6 assistências, além de um aproveitamento de 38.9% em três pontos diante do Brooklyn Nets.

Ainda existe uma briga no banco de reservas para saber quem terá o papel de sexto homem, caso Dennis Schroder seja titular. Então, é preciso entender se Jabari Parker terá alguma função na equipe, após perder muito espaço na liga. Segunda escolha do draft de 2014, Parker até tentou manter-se saudável, mas quando entrou, não foi bem.

Garrafão

O garrafão do Celtics pode ser realmente bom, desde que Al Horford consiga jogar em dias consecutivos. Ao lado de Robert Williams é possível ver algum encaixe, entretanto. Embora Williams não seja o seu típico pivô defensivo, Horford pode exercer o papel de líder na área pintada. O veterano, de 35 anos, já passou de sua melhor fase na NBA, mas ainda é aquele mesmo que sabe espaçar a quadra e arremessar de três. Williams, por outro lado, ficaria responsável por brigar pelos rebotes ofensivos e tentar o arremesso próximo da cesta. Vale lembrar que o jovem pivô acertou mais de 80% das chances com, até, um metro longe do aro.

Como opção, o suíço (ou turco) Enes Kanter vem do banco de reservas para enfrentar, especialmente, defesas zona. Kanter é muito bom em cenários assim, mas falha por muito no outro lado da quadra. Para ele ter algum efeito positivo, entretanto, Tatum precisaria jogar como ala-pivô, espaçando a quadra.

Apesar de o Celtics ter passado por amplas reformulações, a previsão é que o Boston Celtics ainda será um time de playoffs em 2021/22. Talvez, seja necessário passar pelo play-in, mas trata-se de um recomeço. Claro, podemos estar deixando a equipe abaixo do seu potencial na projeção, porém é algo que ainda precisa ser provado. São muitas caras novas, um treinador sem experiência no cargo e um banco apenas regular.

Projeção Jumper Brasil

Conferência Leste: 7º lugar

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER