Confira a previsão para a temporada 2021/22 da NBA que o Jumper Brasil preparou sobre o Detroit Pistons. A equipe escolheu o jovem Cade Cunningham na primeira escolha do draft e, agora, tenta levantar a equipe, que não vai aos playoffs desde 2018-19.

Detroit Pistons

Quem chegou

Cade Cunningham (Draft)
Luka Garza (Draft)
Isaiah Livers (Draft)
Trey Lyles (San Antonio Spurs)
Kelly Olynyk (Houston Rockets)
Cassius Stanley (Indiana Pacers)
Jamorko Pickett (Agente livre)
Chris Smith (Agente livre)
Jared Cunningham (Agente livre)

Quem saiu

Dennis Smith (Portland Trail Blazers)
Sekou Doumbouya (Los Angeles Lakers)
Wayne Ellington (Los Angeles Lakers)
Jahlil Okafor (Agente livre)
Mason Plumlee (Charlotte Hornets)
Deividas Sirvydis (Agente livre)

Elenco

7- Killian Hayes: armador, 20 anos
18- Cory Joseph: armador, 30 anos
5- Frank Jackson: armador, 23 anos
25- Derrick Walton: armador, 26 anos
38- Saben Lee: armador, 22 anos
2- Cade Cunningham: ala-armador, 20 anos
20- Josh Jackson: armador, 24 anos
14- Jared Cunningham: ala-armador, 30 anos
17- Rodney McGrudder: ala-armador, 30 anos
35- Cassius Stanley: ala-armador, 22 anos
6- Hamidou Diallo: ala-armador, 23 anos
0- Chris Smith: ala-armador, 21 anos
24- Jamorko Pickett: ala-armador, 23 anos
41- Saddiq Bey: ala, 22 anos
12- Isaiah Livers: ala, 22 anos
9- Jerami Grant: ala-pivô, 23 anos
13- Kelly Olynyk: ala-pivô, 30 anos
8- Trey Lyles: ala-pivô, 25 anos
28- Isaiah Stewart: pivô, 20 anos
55- Luka Garza: pivô, 22 anos

Titulares

Killian Hayes
Cade Cunningham
Saddiq Bey
Jerami Grant
Isaiah Stewart

Principais Reservas

Cory Joseph
Josh Jackson
Hamidou Diallo
Trey Lyles
Kelly Olynyk
Luka Garza

Técnico: Dwane Casey

O “cara” da franquia

Jerami Grant

Chris Schwegler/AFP

Jerami Grant evoluiu muito como jogador ao se transferir para o Detroit Pistons, mas segue sem ser brilhante nos rebotes. É uma falha, contudo, que pode ser explicada pelo fato de que o Pistons, como time, foi apenas o 25° no quesito. Então, não é só Grant que precisa melhorar. Porém, logo em seu primeiro ano na equipe, ele saltou de aproximadamente 12 pontos por jogo para 22. Com Cade Cunningham, todavia, tais números podem ficar estagnados.

Nas 15 primeiras partidas de 2020-21, Grant sempre superou a marca dos 20 pontos. No entanto, nos 15 jogos seguintes, ele só chegou até ali em oito oportunidades, algo que tornou-se mais comum até o fim da campanha.

Grant participou do time dos Estados Unidos, medalha de ouro nas Olimpíadas de Tóquio, mas quase ficou de fora nos últimos instantes.

Fique de olho!

Cade Cunningham

Chris Schwegler/AFP

Sim, o Detroit Pistons tem uma nova cara. Após anos sem um grande nome como referência (exceto no período em que Blake Griffin esteve por lá), o time terá Cade Cunningham para liderar o Pistons no futuro. Embora todos saibam que isso não vai acontecer da noite para o dia, Cunningham poderá se desenvolver sem grandes pressões. Até por isso, o jogo ainda vai passar muito por Jerami Grant. O processo, entretanto, pode não ser tão demorado, pois o atleta tem um teto muito alto e já apresenta qualidade para tal.

Bom no arremesso de três, ele também pode ser uma boa opção na organização do jogo. Aos poucos, a bola vai passar cada vez mais por ele. A partir da segunda metade da temporada, no entanto, isso já deve começar a acontecer.

O ponto de interrogação

Killian Hayes

JOE MURPHY/AFP

Que ano de estreia desastroso Killian Hayes teve, não é mesmo? Antes da lesão, logo no início da temporada, o atleta anotou dez pontos apenas uma vez, saiu zerado de dois e converteu 27.7% dos arremessos. Posteriormente, ele retornou às quadras, mas mostrou alguma evolução no fim da campanha. O arremesso ainda foi um problema, mas ele conseguiu pontuar de forma mais fluída e jogar mais solto.

Para 2021/22, Hayes precisa entender o seu lugar: passar a bola para Jerami Grant e Cade Cunningham. Entretanto, ele vai poder se desenvolver mais como jogador, podendo trabalhar o arremesso de três (27.8% em seu primeiro ano).

O que esperar do Pistons em 2021/22?

A temporada 2021/22 do Detroit Pistons vai ser de início de transição para o futuro. São muitos jogadores jovens e talentosos, capitaneados por Jerami Grant e, agora, Cade Cunningham. Será interessante acompanhar, especialmente pelo fato de que, agora, o time não tem muito a perder. Vai jogar por evolução de seus atletas e o trabalho de Dwane Casey será ainda mais importante que na campanha passada.

Killian Hayes está de volta, após passar longo período machucado. Calouro em 2020-21, Hayes foi mal nos arremessos, mas espera-se que ele consiga mostrar que valeu o investimento da equipe. Seu principal reserva deverá ser Cory Joseph, um dos poucos experientes do grupo. Para a pré-temporada, o Pistons contou com cinco armadores, mas apenas três devem seguir para a fase regular.

Alas e alas-armadores

Cade Cunningham é o calouro que mais chama a atenção no Detroit Pistons desde Grant Hill. Entretanto, Hill conseguiu fazer daquele Pistons um time de playoffs de um ano para o outro. Para quem não se lembra, o Pistons de 1993-94 somou 20 vitórias. Hill entrou na equipe no ano seguinte e, em 95-96, saltou para 46. Não se imagina que isso se repetirá agora, mas não dá para ignorar o fato de que Cunningham pretende ser o comandante da virada de rumos.

O atleta, de 20 anos, passou apenas um ano no basquete universitário e já está pronto para encarar o desafio. Cunningham é um jogador que faz tudo em quadra, mas tem a tendência de cometer muitos erros de ataque. É projetado, porém, que ele supere a marca dos 15 pontos de média em seu primeiro ano.

Ao lado dele vai jogar Saddiq Bey, que chegou ao time na temporada passada. Bey ganhou espaço com a saída de Blake Griffin e mostrou serviço, com aproveitamento de três pontos na casa dos 38%. Embora ele esteja apenas em seu segundo ano, será o dono da posição, dividindo espaço com os reservas Hamidou Diallo e Josh Jackson.

O interessante sobre Jackson é que, apesar de ele não ter evoluído nos arremessos de três, o ataque continua sendo sua prioridade. Na campanha passada, ainda que tenha jogado cerca de 25 minutos, o atleta produziu 13.4 pontos.

Garrafão

Isaiah Stewart foi alçado ao time titular após a saída de Mason Plumlee para o Charlotte Hornets. Apesar de baixo (2,03 metros), Stewart compensa com muita disposição, força e uma envergadura de 2,25 metros. O atleta, entretanto, não deverá passar dos 30 minutos em quadra. É provável que Kelly Olynyk, ex-Houston Rockets, atue na posição, também. Com Olynyk, o time tende a ficar mais móvel e espaçado, embora ele esteja mais preparado para jogar como ala-pivô.

Se Olynyk terá minutos consideráveis nas duas posições, o mesmo vai acontecer com Jerami Grant. O ex-jogador do Denver Nuggets inicia as partidas como ala-pivô, mas vai atuar, também, como ala. O fato é que Grant tem tudo para seguir como o principal nome do Detroit Pistons, enquanto Cade Cunningham se desenvolve. Na última temporada, ele registrou 22.3 pontos, 4.6 rebotes e converteu 35% dos arremessos de três.

Luka Garza, novato de Iowa, seria jogador two-way, mas teve seu contrato reformado para regular, especialmente pelas performances na Summer League. O fato, porém, é que ele não terá tanto tempo de quadra quanto os outros de sua posição.

Projeção Jumper Brasil

Conferência Leste: 14º lugar

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER