Previsão da temporada 2020/21 – San Antonio Spurs 

  

 

   

Vai e vem do mercado… 

QUEM CHEGA 

QUEM SAI 

Keita Bates Diop (ala, Nuggets)  Marco Belinelli (ala-armador, Itália)           
Tre Jones (armador, draft)  Bryn Forbes (ala-armador, Bucks) 
Cameron Reynolds (ala-pivô, Twolves)            Chimezie Metu (pivô, Kings) 
Devin Vassell (ala, draft)   

  

Elenco 

NÚMERO 

JOGADOR  POSIÇÃO 

IDADE 

Dejounte Murray  Armador  24 
Patrick Mills  Armador  32 
33  Tre Jones  Armador  20 
10  DeMar DeRozan  Ala-armador  31 
Derrick White  Ala-armador  26 
Lonnie Walker IV  Ala-armador  22 
15  Quinndary Weatherspoon       Ala-armador       24   
22  Rudy Gay  Ala  34 
24  Devin Vassell  Ala  20 
Keldon Johnson  Ala  21 
31  Keita Bates-Diop  Ala  24 
12  LaMarcus Aldridge  Ala-pivô  35 
41  Trey Lyles  Ala-pivô  25 
19  Luka Samanic  Ala-pivô  20 
14  Drew Eubanks  Ala-pivô  23 
23  Cameron Reynolds  Ala-pivô  25 
25  Jakob Poeltl  Pivô  25 
40  Tyler Zeller  Pivô  30 

  

Prevendo o time 

Titulares: Dejounte Murray, Derrick White, DeMar DeRozanLaMarcus Aldridge, Jakob Poeltl
Principais reservas: Rudy Gay, Patrick Mills, Trey LylesLonnie Walker IV
Técnico: Gregg Popovich  

   

 

  

O “cara” da franquia 

DeMar DeRozan tem sido um dos melhores atletas que quase ninguém acompanha nos últimos dois anos. Desde que chegou ao Spurs, ele ganhou a liberdade para completar a transição de um grande pontuador para um iniciador de ataque que utiliza a capacidade de quebrar defesas para criar arremessos para todos ao seu redor. Teve a terceira maior média de drives da última temporada (19.8) e passou a bola em 44% dessas infiltrações – maior índice entre os dez primeiros no quesito. É o armador, de fato, de San Antonio. 

  

Fique de olho! 

Spurs empolgou o seu torcedor com as perspectivas de renovação do elenco com as partidas da “bolha”. Jovens já conhecidos do torcedor de campanhas anteriores, como Dejounte Murray e Derrick White, se juntaram a novidades como Keldon Johnson e Lonnie Walker IV para jogar muitos minutos e formar o time mais divertido que os texanos tiveram em algum tempo. A vaga nos playoffs não veio, mas ficou a certeza: apesar dos veteranos do elenco, o futuro da franquia depende desses garotos (muito tempo) em quadra. 

   

O ponto de interrogação 

Excetuando DeRozan, qual é o papel dos veteranos do elenco em um Spurs que já não é mais tão competitivo assim? Essa é a pergunta que levanta-se com o novo momento de San Antonio – e a questão que, provavelmente, Gregg Popovich não gostaria de encarar. LaMarcus Aldridge é o caso mais intrigante de todos: sua ausência na “bolha” levou à escalação do time mais interessante que San Antonio teve nos últimos dois anos e ele é, possivelmente, o jogador com mais valor de mercado entre esses jogadores provados do grupo.  

  

O que esperar do Spurs na temporada? 

Spurs foi duas equipes muito diferentes na última temporada. A versão pré-bolha era um time que privilegiava veteranos, com um estilo de jogo “quadrado” e lento andando na contramão da NBA – baseado em arremessos de média distância e defensivamente pouco versátil. A “bolha” trouxe formações mais rápidas impulsionadas por jogadores mais jovens e atléticos que oferecem maior espaçamento. A única coisa em comum entre esses dois momentos foi a incapacidade de chegar aos playoffs. 

O resumo dessa ópera é que San Antonio teve um “gostinho” de futuro em Orlando e, agora, a torcida vive a incerteza se isso será levado em frente. Ou melhor, a tristeza daquela quase convicção de que não vai ser. A ideia de jogo da “bolha”, com as suas formações mais baixas e móveis capitaneadas por jovens talentos, não poderia estar mais longe do que Gregg Popovich faz. Ver Aldridge, Gay e DeRozan juntos em quadra atuando com um pivô de ofício na pré-temporada é o cenário mais realista. E decepcionante.  

 

Se teremos o time pré-bolha novamente, a tendência é que San Antonio volte a ser um coletivo consideravelmente eficiente ofensivo: um grupo de bons chutadores de média distância que executa jogadas com qualidade e consegue ir à linha dos lances livres. O problema é que não conseguem parar absolutamente ninguém na defesa – em especial, formações que reúnem Aldridge com um pivô de ofício. Os texanos tiveram a sexta pior eficiência defensiva da campanha passada, sofrendo 110.9 pontos por 100 posses. 

A verdade é que o Spurs já passaria relativamente longe de classificar para os playoffs na última temporada e, na campanha que está para começar, tudo indica que essa é a tendência se Popovich for apostar nas mesmas armas do primeiro semestre. A grande questão, então, passa a ser: se essa equipe não for competitiva, todos terão a noção de “sacar” os veteranos para colocar os garotos da “bolha” e os calouros em quadra? Isso não parece ser a cara de San Antonio, na verdade. 

O fim da sequência de 22 classificações para os playoffs, na última temporada, deve ser vista como uma libertação pelo Spurs: finalmente, poderão dar as boas-vindas a novos tempos e tocar a renovação de elenco que todos parecem notar ser necessária. O time da “bolha” pede passagem, mas, para compreender isso, Popovich e a direção da franquia vão precisar aprender a desapegar dos veteranos. 

  

Projeção Jumper Brasil 

Divisão Sudoeste: 5o lugar
Conferência Oeste: 13o lugar 

  

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA, incluido a previsão da temporada do San Antonio Spurs:  

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook