Previsões 2020/21 – Westbrook vai dar certo no Wizards?

Quem chegou

Russell Westbrook (Houston Rockets)
Dani Avdija (draft, Maccabi Tel Aviv)
Yoeli Childs (draft, BYU)
Cassius Winston (draft, Michigan State)
Robin Lopez (Milwaukee Bucks)
Caleb Homesley (draft, Liberty)
Raulzinho (Philadelphia 76ers)

Quem saiu

John Wall (Houston Rockets)
Shabazz Napier
Gary Payton II
Admiral Schofield (Oklahoma City Thunder)

Elenco

4- Russell Westbrook: armador, 32 anos
19- Raulzinho: armador, 28 anos
14- Ish Smith: armador, 32 anos
5- Cassius Winston: armador, 22 anos
3- Bradley Beal: ala-armador, 27 anos
12- Jerome Robinson: ala-armador, 23 anos
1- Caleb Homesley: ala-armador, 24 anos
17- Isaac Bonga: ala, 21 anos
9- Deni Avdija: ala, 19 anos
6- Troy Brown: ala, 21 anos
8- Rui Hachimura: ala-pivô, 22 anos
42- Davis Bertans: ala-pivô, 28 anos
21- Moritz Wagner: ala-pivô, 23 anos
22- Yoeli Childs: ala-pivô, 22 anos
13- Thomas Bryant: pivô, 23 anos
15- Robin Lopez: pivô, 32 anos
18- Anzejs Pasecniks: pivô, 24 anos

Projetando o time

Titulares
Russell Westbrook
Bradley Beal
Troy Brown
Rui Hachimura
Thomas Bryant

Principais reservas

Davis Bertans
Deni Avdija
Robin Lopez
Raulzinho
Isaac Bonga
Jerome Robinson
Moritz Wagner

Técnico: Scott Brooks

O “cara” da franquia

Bradley Beal – Beal evoluiu muito ao longo dos anos e atualmente é um dos grandes cestinhas da NBA, sendo uma ameaça de diversas formas no ataque. Com as lesões de John Wall nos últimos anos, o ala-armador já aprendeu a lidar com a responsabilidade de ser o ícone de uma franquia e agora poderá dividir essas funções com Russell Westbrook. Na última temporada, fez a melhor temporada da carreira em números, com médias de 30.5 pontos, 4.2 rebotes e 6.1 assistências

Fique de olho!

Westbrook Wizards

 

Russell Westbrook – Com o fim da “experiência” em Houston, Westbrook vem se mostrando feliz por ter sido negociado para o Wizards, onde encontrará seu antigo técnico, Scott Brooks, e uma equipe que aposta em seu talento para voltar aos trilhos. No novo time, o armador também terá outra estrela ao seu lado no perímetro e mais uma chance de um “recomeço” pós-Oklahoma City Thunder. Será interessante observar como será o encaixe do astro com o elenco.

O ponto de interrogação

Vai funcionar? – Na teoria, o encaixe de Westbrook com Beal é bem mais simples do que com James Harden. Beal é capaz atuar por mais tempo sem a bola e consegue ser perigoso desta forma, deixando a posse para Westbrook atuar do seu jeito mais efetivo. No entanto, o ala-armador vem da melhor temporada da carreira, onde sua responsabilidade com a bola aumentou. Além disso, a defesa do perímetro será outro detalhe que vai merecer atenção. É bem provável que eles consigam se entender, mas ambos terão que se adaptar em alguns pontos para que tudo possa fluir do jeito certo. O sucesso na temporada depende disso.

O que esperar do Wizards em 2020/21?

Antes da sequência lesões de John Wall, o Wizards estava acostumado a participar dos playoffs, algo que não acontece há duas temporadas. Com a troca de Wall por Westbrook, o objetivo da equipe parece ser voltar ao status anterior. A diretoria não deseja seguir o caminho da reconstrução total, ignorou os diversos times interessados em Beal e preferiu montar outro time competitivo.

A grande questão da equipe envolve os encaixes entre Beal e Westbrook e, principalmente, do novo armador principal com o resto do elenco. O time conta com múltiplas opções de arremessadores no elenco, algo que certamente fazia falta nos tempos de Scott Brooks no comando do Thunder. O cenário ideal, todos sabem: fazer com que Westbrook não precise arremessar tantas vezes em situações desnecessárias (e isso envolve colaboração do próprio jogador) e que outros jogadores consigam espaçar a quadra e oferecer opções para receber os passes do veterano durante seus ataques à cesta.

Do outro lado da quadra, a questão é mais complicada: o Wizards teve uma das piores defesas da última temporada e muita coisa precisa ser alterada para que a equipe tenha um rendimento, no mínimo, decente. Em 2019-20, a equipe levou 114.7 pontos a cada 100 posses de bola, a segunda pior marca da liga.

Deni Avdija e Rui Hachimura são jovens que terão bastante espaço na rotação e poderão atuar em mais de uma posição. Inicialmente, Hachimura deve começar como ala-pivô titular, deixando Avdija junto com Davis Bertans como boas opções ofensivas no banco de reservas. No entanto, Brooks deve testar outras formações com o tempo.

O Wizards não tem o nível necessário para enfrentar os melhores times do Leste em uma série, mas a equipe se mostra melhor do que a versão 2019-20, quando ficou na zona do play-in. Desta vez, se nenhuma lesão atrapalhar os planos, o time tem tudo para estar realmente na briga pelos playoffs e retornar à pós-temporada, mais uma vez com uma dupla de armadores como destaque.

Projeção Jumper Brasil

Divisão do Sudeste: 2º lugar
Conferência Leste: 8º lugar

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook