A batalha pela última vaga nos playoffs pela conferência Oeste será entre Portland Trail Blazers e Memphis Grizzlies, oitavo e nono colocados, respectivamente. Após oito jogos disputados na bolha, o time de Oregon superou o Grizzlies e chega com a vantagem de vencer uma das duas partidas que vão acontecer neste sábado e domingo.

O Blazers, desfalcado de seu principal defensor de perímetro, o ala Trevor Ariza, tenta ir aos mata-matas pela sétima vez consecutiva. Já o Grizzlies, que vai sem o jovem Jaren Jackson Jr., não disputa os playoffs desde 2016-17.

Como chegaram em Orlando?

O Memphis Grizzlies era o oitavo colocado do Oeste quando a temporada foi suspensa por conta da pandemia do coronavírus, em 11 de março. Apesar de o time ter feito boa campanha, as ausências de jogadores importantes nas semanas anteriores fizeram com que o desempenho caísse e as derrotas começaram a vir em sequência. Foram sete nos últimos dez jogos antes da parada, sendo cinco consecutivas. Nesse período, a equipe perdeu levando, ao menos, 120 pontos em cinco oportunidades.

Para piorar, a tabela não favorecia em nada e o time enfrentaria adversários mais fortes. Mas veio a “bolha” e esses oponentes, também. A NBA preparou calendários similares que teriam em março, excluindo apenas os eliminados.

Pelo lado de Portland, o astro Damian Lillard havia perdido seis jogos por lesão (quatro derrotas) e, quando ele retornou às quadras, perdeu para o Phoenix Suns e Sacramento Kings por dígitos duplos. Não era exatamente o cenário ideal, mas havia uma chance de chegar aos playoffs com a queda vertiginosa do Grizzlies. Entretanto, o New Orleans Pelicans aparecia como a grande ameaça, por conta do calouro Zion Williamson.

Classificação até a suspensão dos jogos

8- Memphis Grizzlies – 32 vitórias, 33 derrotas
9- Portland Trail Blazers – 29 vitórias, 37 derrotas
10- New Orleans Pelicans – 28 vitórias, 36 derrotas
11- Sacramento Kings – 28 vitórias, 36 derrotas
12- San Antonio Spurs – 27 vitórias, 36 derrotas
13- Phoenix Suns – 26 vitórias, 39 derrotas

Resultado final

8- Portland Trail Blazers – 35 vitórias, 39 derrotas
9- Memphis Grizzlies – 34 vitórias, 39 derrotas*
10- Phoenix Suns – 34 vitórias, 39 derrotas
11- San Antonio Spurs – 32 vitórias, 39 derrotas
12- Sacramento Kings – 31 vitórias, 41 derrotas
13- New Orleans Pelicans – 30 vitórias, 42 derrotas

*Classificou-se pelo confronto direto

Como foram na “bolha”

Memphis Grizzlies (2-6 na “bolha”, 34-39 no total)

O Memphis Grizzlies tinha uma tabela complicada, isso todo mundo sabia. Porém, Jaren Jackson Jr. e Brandon Clarke estavam recuperados de lesões e, por conta disso, havia a esperança de conseguir melhores resultados. Além disso, Justise Winslow poderia estrear pela equipe. No entanto, o ala não sentiu-se confortável e ficou de fora dos jogos em Orlando.

A situação do Grizzlies foi piorando aos poucos. O time estreou justamente contra o Portland Trail Blazers e liderava por 11 pontos, com cerca de dois minutos para o fim. A equipe de Tennessee permitiu o empate, a partida foi para a prorrogação e o Blazers venceu. Naquele embate, Jackson Jr. anotou 33 pontos.

Na sequência, foi derrotado por San Antonio Spurs e New Orleans Pelicans, todos confrontos diretos. Depois, perdeu para o Utah Jazz e viu sua vaga, até para o play-in, começar a ser ameaçada. Veio, então, um triunfo diante do mistão do Oklahoma CIty Thunder, já sem Jackson Jr., lesionado mais uma vez. Seguiu perdendo, agora para Toronto Raptors e Boston Celtics, sendo ultrapassado pelo Blazers ali.

Com as costas na parede e empatado com o Phoenix Suns, na briga pelo nono lugar, o Grizzlies encarou o Milwaukee Bucks. Por sorte, talvez, o astro Giannis Antetokounmpo estava suspenso após dar uma cabeçada em Moritz Wagner e o Bucks foi com time misto, utilizando reservas a maior parte do tempo. Venceu e garantiu vaga no play-in.

Portland Trail Blazers (6-2 na “bolha”, 35-39 no total)

O Portland Trail Blazers iniciou sua caminhada com vitória após prorrogação sobre o Memphis Grizzlies por 140 a 135. Em seguida, perdia por larga margem para o Boston Celtics, encostou, mas acabou sendo derrotado. Superou, então, Houston Rockets e Denver Nuggets, dando toda a pinta que poderia superar o Grizzlies na classificação.

A derrota para o Los Angeles Clippers foi levada para fora das quadras. Damian Lillard, que tinha dois lances livres cruciais no fim, perdeu suas tentativas e foi hostilizado por Paul George e Patrick Beverley em quadra e nas redes sociais.

Lillard respondeu com 51 pontos diante do Philadelphia 76ers e 61, contra o Dallas Mavericks, obtendo a oitava posição. Veio, por fim, o dramático e decisivo jogo com o Brooklyn Nets. Por mais que o Nets estivesse sem inúmeros jogadores importantes, o embate foi definido apenas no último lance, quando Caris LeVert falhou no arremesso da cabeça do garrafão.

O confronto

Portland Trail Blazers e Memphis Grizzlies enfrentaram-se duas vezes durante toda a temporada, sendo uma delas na “bolha”, com uma vitória para cada lado. O retrospecto antes da parada não conta muita coisa para o momento. Enquanto um vem embalado, com seis vitórias em Orlando, o Grizzlies chega no sufoco, vencendo dois times mistos, acumulando seis derrotas no período.

Memphis Grizzlies

PF Anthony Tolliver – 4.4 pontos, 2.4 rebotes, 38.9 3P%
SF Kyle Anderson – 5.8 pontos, 4.3 rebotes, 47.4 FG%
C Jonas Valanciunas – 14.8 pontos, 11.1 rebotes, 1.1 bloqueio, 58.3 FG%
SG Dillon Brooks – 16.0 pontos, 3.3 rebotes, 81.3 FT%, 35.4 3P%
PG Ja Morant – 17.9 pontos, 7.2 assistências, 3.7 rebotes, 48 FG%, 34.3 3P%

Principais reservas: Brandon Clarke (PF), Grayson Allen (SG/SF), De’Anthony Melton (PG/SG)

Para ficar de olho – Ja Morant

Principal candidato ao prêmio de melhor calouro do ano, o armador mostrou algumas deficiências em seu jogo defensivo. Além disso, foi obrigado a arremessar mais de longa distância e seus aproveitamentos não foram nada bons na “bolha”: 40.9 FG% e 18.4 3P%. Pode sofrer ainda mais com suas infiltrações diante de um garrafão com Jusuf Nurkic ou Hassan Whiteside.

Portland Trail Blazers

PF Zach Collins – 7.5 pontos, 6.3 rebotes, 50.8 FG%, 41.2 3P%
SF Carmelo Anthony – 15.5 pontos, 6.3 rebotes, 38.7 3P%
C Jusuf Nurkic – 17.0 pontos, 10.3 rebotes, 4.1 assistências, 1.6 roubada, 91.2 FT%
SG C.J. McCollum – 22.2 pontos, 4.4 assistências, 4.2 rebotes, 38.3 3P%
PG Damian Lillard – 29.8 pontos, 8.0 assistências, 4.3 rebotes, 39.7 3P%, 88.8 FT%

Principais reservas: Gary Trent Jr. (SG/SF), Hassan Whiteside (C), Mario Hezonja (SF)

Para ficar de olho – C.J. McCollum

O arremesso de C.J. McCollum desapareceu na “bolha”. Um dos principais cestinhas da equipe, o atleta sofreu uma lesão nas costas contra o Los Angeles Clippers e está atuando no sacrifício. Desde então, seu aproveitamento nos arremessos foi de 34.6 FG% e 17.6 3P% (três jogos). O Trail Blazers precisa do ala-armador para “desafogar” o astro Damian Lillard como única fonte de pontos daqui em diante.

Os jogos

Jogo 1: sábado, 15h30 (horário de Brasília)
Jogo 2: domingo, 17h30 (horário de Brasília) – se necessário

Palpite: Blazers em um jogo

 

Participe do sorteio de uma camisa de LeBron James. Será no próximo sábado, às 19h03. Confira regulamento.