Scottie Barnes

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Florida State
Experiência: freshman (primeiro ano universitário)
Posições: armador/ala/ala-pivô
Altura: 6’9″ (2,06m)
Envergadura: 7’3″ (2,21m)
Peso: 103 kg

Médias na última temporada: 10.3 pontos, 4.0 rebotes, 4.1 assistências, 1.5 roubo de bola, 0.5 toco, 2.5 desperdícios de bola, 50.3% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 27.5% de aproveitamento nas bolas de três pontos, 62.1% de aproveitamento nos lances livres, 24.8 minutos por jogo

Pontos fortes

  • versatilidade; capaz de atuar em várias posições e dotado de atributos físico-atléticos de elite (altura, braços longos, força, agilidade, impulsão), Barnes é um dos prospectos mais intrigantes do recrutamento deste ano
  • elevado QI de basquete nos dois lados da quadra; mesmo com a pouca idade, tem um entendimento avançado do jogo, executa muito bem o papel de point forward (ala/ala-pivô que fica responsável pela criação de jogadas da equipe), visão de quadra acima da média para um jogador do seu tamanho, utiliza sua altura privilegiada para enxergar acima do marcador adversário, ele também mostra instintos apurados na antecipação das linhas de passe
  • ótimo playmaker, especialmente na transição; Barnes mostra facilidade em iniciar contra-ataques e possui uma excelente visão de jogo na quadra aberta, tem a habilidade para ser o ballhander primário de sua equipe (o que aconteceu com frequência em Florida State), facilidade de criar no short roll (quando recebe dobra no momento do pick-and-roll e aciona seu pivô no centro da quadra – em situação de três contra dois) e em situações de handoff (quando um jogador passa a bola para o companheiro e, em seguida, já se posiciona para fazer um bloqueio para ele)
  • defensor acima da média, um autêntico ‘canivete suíço’; é capaz de marcar todas as cinco posições em quadra, tem agilidade suficiente e um trabalho de pés excepcional para defender adversários mais baixos e rápidos no perímetro, assim como a força física e a envergadura necessárias para bater de frente com rivais mais ‘pesados’ e altos na área próxima à cesta, marcador disruptivo, que consegue pressionar quem está com a bola nas mãos, forçar turnovers e tirar o adversário do ritmo ofensivo habitual, tem potencial para ser um defensor de elite na NBA
  • bom finalizador na área pintada; eficiente nos euro steps e side steps, se aproveita muito bem dos screens dos companheiros para chegar à cesta, exibe um trabalho de pés avançado, tem força física para absorver contato na área pintada, capaz de atacar mismatches contra atletas mais baixos
  • disciplinado, solidário e muito esforçado em quadra; sempre dá o máximo, incansável, joga para o time, um verdadeiro competidor
  • ótimo encaixe em times recheados de bons arremessadores e que utilizam bastante os spot ups (fica parado em um local da quadra, recebe o passe e logo arremessa), o que vimos na última temporada em Florida State
  • oriundo de um programa do College que desenvolve defensores versáteis para a NBA; Jonathan Isaac, Devin Vassell e Patrick Williams também foram comandados por Leonard Hamilton em Florida State

Pontos fracos

  • dificuldade em criar o próprio arremesso; não é uma ameaça como arremessador após o drible, em isolation, não deverá atrair a atenção da defesa adversária e, com isso, pode funcionar na NBA mais como um criador secundário do que um ballhander primário
  • péssimo arremessador de média e longa distância; o baixo aproveitamento nos lances livres (62.1%) mostra que essa é uma área que Barnes terá que trabalhar muito nos próximos meses, mecânica de arremesso lenta, rígida, mas pelo menos não é de todo problemática (sua mecânica teve vislumbres de fluidez e rapidez durante a temporada)
  • finalizador que confia essencialmente no seus atributos físico-atléticos; tem dificuldade para chegar à cesta em garrafões congestionados, utiliza pouco o floater, não tem um controle de bola de elite, só finaliza com a mão direita, falta polidez no jogo de costas para a cesta
  • intensidade excessiva em quadra; mostra tanta vontade que comete faltas tolas, desperdiça a bola e se atrapalha em tentativas de atacar o aro
  • lapsos defensivos; precisa ser um marcador mais consistente fora da bola, às vezes se perde nas trocas e nas tentativas de coberturas
  • precisa estar cercado de bons arremessadores para ser realmente útil; em times com problemas de espaçamento de quadra, Barnes não vai render o seu melhor

Comparação Draymond Green (Golden State Warriors)

Projeção: escolha top 10

Confira alguns lances de Scottie Barnes