Nesta sexta-feira, o Jumper Brasil segue com seus rankings dos melhores jogadores por posição da NBA para a temporada 2021-2022 com os 20 principais alas-pivôs que projetamos para a liga. Como combinado, a votação para esta edição teve a participação dos leitores. No entanto, foi informado que a equipe do site teria peso 2, enquanto os votos dos internautas teve peso 1.

O que é levado em consideração para a formação das listas:

Números: como nos últimos anos, o que um jogador poderá fazer por sua equipe naquela temporada é determinante. Se ele está lesionado ou tem chances maiores de perder jogos durante a campanha por contusões, ele cai no ranking. Se ele ganha uma titularidade, mais espaço na rotação, sobe.

Critério de posições: utilizamos o bom censo, mas sem fugir muito de outros rankings. Um detalhe a ser notado é que, às vezes, um jogador pode ser ala-armador de origem, mas vai jogar mais tempo ou começar mais jogos como ala ou armador.

Mudança de time: durante a offseason, muitos jogadores trocaram seus times e enfrentam uma nova realidade. Portanto, um atleta pode ter mais ou menos tempo de quadra, alterando seu papel dentro da rotação e minutos em quadra.

Load management: é como o critério de jogador que perde jogos por lesão, mas sabemos que ele foi apenas poupado. Perde pontos, mas nem tanto. Ele não terá de voltar às quadras aos poucos, como é no caso de um lesionado.

Potencial: alguns calouros são levados em consideração, mas sem uma verdadeira amostragem, não tem como valorizar tanto na pontuação final.

Alas-pivôs

1- Kevin Durant (178 pontos)

Nathaniel S. Butler / AFP

Um dos principais candidatos ao prêmio de MVP da próxima temporada, o astro Kevin Durant é um jogador completo. Excelente cestinha, um dos melhores arremessadores da liga e, também, sabe organizar o jogo. A lesão no tendão de Aquiles não tirou dele suas principais características, porém, o que faz dele ainda mais letal contra os oponentes. É importante ressaltar que, mesmo tendo ficado um ano longe da NBA, Durant seguiu impecável (exceto pelo pé grande demais, que tocou na linha de três em jogo decisivo contra o Milwaukee Bucks).

2- Giannis Antetokounmpo (172 pontos)

Não tem como não exaltar Giannis Antetokounmpo. Pode não ser o melhor arremessador de três pontos ou lance livre, mas é incrível defensor e está cada vez mais espetacular no ataque. Tem gente, porém, que acha que o grego é só correria e enterrada. Falavam (falam) o mesmo de LeBron James, também. Portanto, os haters de seu jogo estão ficando sem argumento. Imagine se ele arremessasse de três com eficiência…

3- Anthony Davis (153 pontos)

Anthony Davis é um dos melhores jogadores da NBA, sem dúvidas. No entanto, o fato de ele ter seguidas “pequenas lesões” atrapalham o seu rendimento. Davis pode ser, inclusive, ser o principal cestinha do Los Angeles Lakers em 2021-22. A questão é: para fazer isso, ele vai precisar se livrar dessas contusões e ser mais agressivo. Essa falta de agressividade no ataque foi criticada durante os playoffs. É provável que ele tenha mais minutos como pivô, também.

4- Jayson Tatum (152 pontos)

Olha só como Jayson Tatum evoluiu nos últimos anos. Claro, ele “jogava como veterano” em sua primeira temporada na NBA. Agora, ele está próximo de ser reconhecido como um super astro. Não vai demorar, entretanto. Precisa, porém, saber pegar rebotes contestados. Efetivamente, Tatum não chega a ser sequer razoável no quesito (clique aqui, ele está na nona de 11 páginas). No entanto, ele afirmou que pretende corrigir isso em 2021-22. Vale acompanhar.

5- Zion Williamson (138 pontos)

A gente sempre espera que Zion Williamson consiga fazer uma temporada completa. A gente sempre torce para que ele perca um pouco daquele peso todo. Mas, infelizmente, o temor de ele se lesionar seriamente e ter seu futuro comprometido é real. Nos treinamentos para a próxima temporada, Williamson já se machucou de novo. Talento ofensivo, ele possui de sobra. Ainda busca aperfeiçoar o arremesso de longa distância, mas já se tornou um bom passador. Segue em evolução.

6- Julius Randle (123 pontos)

Julius Randle foi para o Jogo das Estrelas pela primeira vez na temporada passada. Além disso, o ala-pivô liderou o New York Knicks aos playoffs, algo que não acontecia desde 2012-13. Caiu na primeira rodada, é verdade. Mas Randle é capaz de fazer sua equipe seguir brigando pela pós-temporada nos próximos anos, especialmente com reforços que sabem jogar, como Kemba Walker.

7- Domantas Sabonis (117 pontos)

Apesar de não ser um grande defensor, Domantas Sabonis segue expandindo o seu jogo. Habilidoso com a bola nas mãos, o filho do lendário Arvydas é um ótimo organizador de jogadas e tem arremessado mais vezes de três, embora o aproveitamento ainda carece de certo cuidado. Sabonis pode jogar como ala-pivô ou pivô, caso Myles Turner não esteja disponível. Aliás, a diretoria até cogitou trocar Turner para deixar o camisa 11, duas vezes All Star, sozinho no garrafão.

8- Draymond Green (114 pontos)

Tudo bem. Draymond Green não é o seu ala-pivô convencional, nós sabemos disso. Entretanto, Green tem uma visão de quadra privilegiada e é, geralmente, quem coordena as jogadas ofensivas do Golden State Warriors, ao lado de Stephen Curry. O atleta, de 31 anos, produziu 7.0 pontos, 7.1 rebotes, 8.9 assistências e 1.7 roubada na temporada passada. Espera-se que ele consiga contribuir pontuando e acertando bolas de três (27% de aproveitamento em 2020-21).

9- Jerami Grant (102 pontos)

Que mudança Jerami Grant teve na carreira, não é mesmo? Ele passou de um bom defensor no Denver Nuggets para um cestinha e candidato real ao Jogo das Estrelas de um ano para o outro. Entretanto, Grant ainda precisa aprimorar alguns fundamentos ofensivos para ser ainda melhor e facilitar a transição de Cade Cunningham no Detroit Pistons. Pegar rebotes, também, não faz mal, tá?

10- Pascal Siakam (94 pontos)

Quase trocado algumas vezes na temporada passada, Pascal Siakam quer paz para trabalhar. A diretoria, no entanto, está de olho. Falhas de comportamento não deverão ser mais toleradas, portanto. O camaronês é capaz de produzir muito para o Toronto Raptors. Falta saber se o time vai querer brigar por playoffs. Ele, sem motivação, não parece com aquele jogador que foi ao Jogo das Estrelas de 2019-20.

11- Tobias Harris (81 pontos)

Sem Ben Simmons, em litígio com o Philadelphia 76ers, Tobias Harris tem tudo para ser um dos focos ofensivos da equipe. Entretanto, isso pode durar pouco, caso Simmons seja trocado por algum cestinha. Harris é subestimado, apesar de seu salário dizer o contrário. O ala-pivô, que também pode jogar como ala, acertou 39.4% dos arremessos de três na última temporada.

12- John Collins (77 pontos)

De contrato renovado, John Collins precisa recuperar aquele ritmo ofensivo de duas temporadas atrás, quando registrou 21.6 pontos e 10.1 rebotes. Na última campanha, porém, Collins teve queda de rendimento. Mas o problema contratual pode ter atrapalhado, também. Esperamos que ele tenha uma campanha similar a 2019-20 e justificar, portanto, o novo salário.

13- Jaren Jackson Jr (64 pontos)

Jaren Jackson Jr só precisa parar de se contundir. Embora ele esteja livre de contusões no momento, Jackson perdeu jogos por lesões em todas as três temporadas que atuou na NBA. Capacidade para tornar-se um All Star, ele possui. Pode não acontecer agora, mas se continuar evoluindo, vamos ver o jogador do Memphis Grizzlies algumas posições acima nos próximos anos.

14- Kristaps Porzingis (59 pontos)

Este pode ser o último ano de Kristaps Porzingis no Dallas Mavericks, caso suas performances sigam oscilando. O pior, entretanto, nem é tanto pelo seu papel em quadra. Porzingis reclamou, recentemente, que não gostou como foi utilizado e, aparentemente, teria ciúmes das atenções voltadas a Luka Doncic. Ou seja, é bom o letão priorizar o basquete ou, possivelmente, vai acabar sendo negociado.

15- Aaron Gordon (56 pontos)

Excelente defensor, Aaron Gordon foi trocado pelo Orlando Magic para o Denver Nuggets na última temporada. No entanto, Gordon segue “acanhado” no ataque e vê o crescimento de Michael Porter de camarote. O atleta é muito talentoso, mas se esconde ofensivamente. É bom lembrar que ele já fez 17 pontos por jogo no Magic, mas vem deixando de tentar o próprio lance e, em 25 partidas pelo Nuggets, produziu 10.2.

16- Jae Crowder (32 pontos)

Embora seja muito aguerrido, Jae Crowder limita-se, no ataque, a ficar posicionado na linha de três. No outro lado da quadra, entretanto, o papo é outro. Crowder é capaz de marcar os melhores jogadores oponentes, mas sem ser taxado de “sujo”, como acontece com a maioria dos grandes defensores.

17- Rui Hachimura (29 pontos)

O japonês Rui Hachimura precisa evoluir e o Washington Wizards não espera menos dele. Todavia, o ala-pivô precisou ser afastado da fase de treinamentos por problemas pessoais. Nos últimos dias, a diretoria do Wizards começou a se preocupar ainda mais, após indícios de que ele não gostaria de retornar para o time. É para ficar de olho.

18- Keldon Johnson (27 pontos)

Provável ala-pivô do San Antonio Spurs, Keldon Johnson é, originalmente, um ala. Entretanto, o atleta, que completa 22 anos na semana que vem, já mostrou serviço suficiente para ganhar a confiança de Gregg Popovich. Não por menos, ele foi convocado como substituto de Bradley Beal para o time dos Estados Unidos e já possui uma medalha de ouro olímpica.

19- PJ Washington (26 pontos)

Na última temporada, até pela ausência de um pivô confiável, PJ Washington foi obrigado a jogar muitos minutos no garrafão do Charlotte Hornets, apesar de não ser muito alto (2,01 metros). Ainda assim, Washington teve papel importante na equipe de North Carolina e tem sido boa opção nos arremessos de longa distância (38.6% de aproveitamento).

20- Marvin Bagley (23 pontos)

“Queridinho” da torcida do Jumper Brasil, Marvin Bagley quase venceu a enquete dos leitores para a posição. Embora tenha talento, Bagley sempre será marcado por ter sido escolhido antes de Luka Doncic no draft de 2018. Sua família tem feito força para ele sair do Sacramento Kings e, sinceramente, talvez seja o melhor para ele.

Outros votados

Darius Bazley (22)
Robert Covington (21)
Marcus Morris (18)

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER