O New York Knicks vive um raro momento de consistência nas últimas semanas, com a sétima colocação do Leste e uma campanha próxima dos 50% de aproveitamento. Mas, enquanto o torcedor comemora a ótima fase, os dirigentes nova-iorquinos já traçam os próximos passos para que esse seja só o início de um novo ciclo de sucesso na franquia. Segundo Stefan Bondy, do jornal New York Daily News, rumores apontam que o Knicks teria Bradley Beal e CJ McCollum como “sonhos de consumo” no mercado. 

A primeira opção dos nova-iorquinos, como esperado, é o astro do Washington Wizards e eleito titular do Jogo das EstrelasBondy apurou que ele seria um dos raros atletas da liga pelos quais a equipe estaria disposta a abrir mão de múltiplos dos seus ativos, que inclui vários jovens jogadores (como Mitchell Robinson, R.J. Barrett e Immanuel Quickley) e cinco escolhas de primeira rodada nos próximos três drafts. O problema é que o jogador de 27 anos ainda não estaria disponível para negociações. 

A palavra “ainda” precisa ser usada porque, nos bastidores, o Knicks estaria fazendo o que pode para mudar a situação. De acordo com o radialista Michael Kay, da ESPN, o dirigente William Wesley mantém contato com os representantes de Beal para tentar “incentivar” um pedido de troca do jogador. É válido lembrar que, se for verdade, tal relação pode configurar uma violação das regras de aliciamento da NBA e causar potenciais punições para a franquia de Nova Iorque. 

McCollum, por sua vez, seria uma espécie de “plano B” com que o Knicks trabalha nesse momento: ele é um jogador monitorado, mas com menor interesse do que o all-star e como um possível alvo até para ser adquirido ainda nessa temporada. O ala-armador se recupera de uma fratura no pé e, surpreendentemente, o Portland Trail Blazers cresceu de produção após o seu afastamento. Ele tem contrato que estipula cerca de US$100 milhões garantidos para receber nas próximas três temporadas. 

Beal vive a melhor temporada na carreira e, apesar dos péssimos resultados do Wizards até agora, não teria mostrado qualquer sinal de que queira ser negociado. Em 25 jogos disputados, o atual cestinha da NBA registra médias de 32.9 pontos, 5.2 rebotes e 4.6 assistências. Já McCollum, que esteve em 13 partidas do Blazers antes de lesionar-se, anota 26.7 pontos (com 44.1% de aproveitamento nos arremessos de longa distância), 3.9 rebotes e 5.0 assistências por noite.