Uma das marcas históricas da liga que gerações de torcedores acreditavam ser imbatível foi quebrada na noite dessa segunda-feira. O craque Russell Westbrook chegou a 182 triplos-duplos na carreira e superou o recorde do lendário Oscar Robertson para tornar-se o líder da história da NBA no quesito. Ele alcançou o impressionante feito ao anotar 28 pontos, 13 rebotes e 21 assistências na apertada derrota do Washington Wizards diante do Atlanta Hawks, por 124 a 123.

“Isso é uma legítima benção. É um momento grandioso para mim porque tenho muito respeito pelos grandes jogadores que vieram antes de mim e pelo talento que foi me dado por Deus. Levo isso muito à sério. Todas as noites, eu tento entrar em quadra e fazer coisas que as pessoas acreditam não poder ser feito. Vivo e penso a partir de uma frase: ‘por que não?’”, afirmou o novo recordista, que acabou errando o arremesso que poderia ter dado a vitória ao time da capital dos EUA no estouro do cronômetro.

Robertson finalizou a carreira em 1974 e reinava como o líder absoluto em triplos-duplos da NBA desde então, em um dos recordes mais longevos da história da liga. Para se ter uma ideia, nessas quase cinco décadas, quem havia chegado mais próximo do lendário armador foi Magic Johnson, que acumulou 138 TDs como profissional. A ascensão do astro do Wizards começou em março de 2009, ainda como calouro, quando anotou 17 pontos, dez rebotes e dez assistências contra o Dallas Mavericks.

“Você trabalha muito tempo e sacrifica parte de sua vida por esse jogo, para merecer ser mencionado ao lado de lendas como Oscar e Magic. Ser capaz de alcançar isso, estar aqui, é algo com que nunca poderia sonhar enquanto era uma criança crescendo em Los Angeles. Sou muito agradecido por poder viver momentos como esse. Vocês sabem que, normalmente, não sou o cara que fica se vangloriando e parabenizando, mas, hoje, eu vou”, comemorou o nove vezes all-star.

Assim que o recorde foi alcançado, o Wizards publicou um vídeo em suas redes sociais com familiares, técnicos e jogadores saudando Westbrook. Robertson, Johnson, Jason Kidd, LeBron James e o técnico Scott Brooks são algumas presenças na homenagem. “Essa marca diz muito sobre sua ética de trabalho incondicional, habilidades bastante versáteis e inquestionável paixão que traz para dentro de quadra a cada noite”, reverenciou o comissário da liga, Adam Silver, na peça.

Esse não é o primeiro recorde que o armador de 32 anos tira das mãos de Robertson: há quatro anos, ele quebrou a marca de 41 triplos-duplos em uma única temporada que era mantida pelo integrante do Hall da Fama por 55 anos. Isso não criou, porém, uma “rixa” geracional. Pelo contrário: o veterano tornou-se amigo e, mais de uma vez, disse ser fã do jogador da atualidade. Ele já havia dito há alguns dias, inclusive, que estava na torcida para ver sua façanha histórica ser batida.

“Russell é um sensacional jogador de basquete e atleta que deixa absolutamente tudo o que tem em quadra. Eu acho realmente incrível que jornalistas esportivos critiquem-no constantemente, fazendo questão de listar o que não pode fazer ou que nunca ganhou um título da NBA. Tudo o que esse garoto faz, noite após noite, é apresentar basquete do nível de um legítimo MVP”, exaltou Robertson, em entrevista recente ao jornal New York Post.

De fato, conforme os triplos-duplos começaram a se amontoar, Westbrook conviveu com críticas de público e analistas que acusavam-no de colocar os seus números e façanhas pessoais acima do coletivo e vitórias. Essa imagem sempre foi confrontada, porém, por todos os companheiros de time do armador. Ele nunca foi o “câncer” nos vestiários que muitos diziam. Sua atuação como um agente social nas cidades por onde passou na carreira, longe dos holofotes, também sempre foi elogiado.

“Russell é um vencedor, pois estamos falando de uma pessoa que está fazendo lugares melhores tanto o mundo do basquete, quanto o fora das quatro linhas. Acreditem em mim: não são muitos caras que podem fazer isso. Não existem muitos jogadores que possuem o seu impacto dentro e fora de quadra. Acompanhar alguém assim é algo fenomenal”, ressaltou Brooks, que também foi o primeiro treinador do ex-MVP da liga na NBA, em Oklahoma City.

Essa é a primeira vez que um recorde absoluto em um quesito na liga é quebrado desde 2011, quando Ray Allen superou Reggie Miller para tornar-se o jogador com mais cestas de três pontos da história. Westbrook, que precisou de aproximadamente 100 partidas a menos do que Robertson para chegar ao recorde da NBA, terminará a quarta temporada da carreira com média de triplos-duplos: registra 22.0 pontos, 11.6 rebotes e 11.5 assistências em 61 jogos disputados na atual campanha.