Muitos analistas apontaram, antes do início da temporada, Gordon Hayward como um dos piores contratos assinados na offseason. Aos poucos, porém, o atleta de 30 anos revelou-se uma das boas surpresas da temporada depois de sair em aparente baixa do Boston Celtics. Atuando pelo Charlotte Hornets, Hayward faz a possível melhor campanha da carreira e o técnico James Borrego não tem dúvidas de que merece um dos eleitos para o Jogo das Estrelas na conferência Leste. 

“Gordon deve entrar na lista dos all-stars, com certeza. Tem sido tudo o que podíamos imaginar e mais para esse grupo. Registra as maiores marcas da carreira em diversos quesitos, como pontuação e eficiência em quartos períodos. E o que vem fazendo por nossos jovens talentos, ajudando-os a melhorar tecnicamente e estimulando o nosso espírito competitivo, é algo que somente quem está aqui dentro sabe”, elogiou o treinador, em entrevista ao site oficial da equipe. 

Desde 2010, o Hornets só teve um jogador eleito para o All-Star Game: o armador Kemba Walker, que acumulou três seleções para o evento nos anos 2010. É esperado, por isso, que a equipe “invista” em uma campanha nas redes sociais para tentar colocar Hayward na partida festiva, que deverá ser realizada em Atlanta dentro de um mês. O ala, porém, não vê a possível convocação para o evento como um fim, mas sim a legitimação do trabalho pensando no grupo.    

“A minha postura tem sido tentar focar ao máximo em nós, no grupo. Todos os feitos e prêmios individuais virão disso, são consequência. Eu continuo a aprimorar-me como jogador para vencermos jogos e isso é o importante para mim. É claro que seria ótimo receber esse reconhecimento, ser eleito all-star, mas o meu foco está exclusivamente com a nossa equipe”, afirmou o veterano, que já foi eleito all-star em 2017, quando ainda era atleta do Utah Jazz. 

Após deixar o Jazz, Hayward sofreu uma grave fratura na perna no primeiro jogo pelo Celtics e foi o início de uma passagem de três temporadas em que nunca conseguiu ficar completamente saudável e corresponder as altas expectativas do torcedor. Foi desfalque em boa parte dos playoffs do ano passado, inclusive. Na atual temporada, porém, ele já participou de 23 dos 25 jogos do Hornets, registrando médias de 23.1 pontos, 5.5 rebotes e 3.9 assistências. 

“Olhe para trás e lembre de todas as lesões que Gordon enfrentou nos últimos anos. A verdade é que você nunca sabe se vai retornar de algo assim jogando em alto nível. A maneira como ele respondeu as adversidades e recolocou-se nesse patamar diz muito sobre o seu caráter, ética de trabalho no dia-a-dia. Isso seria uma grande e merecida recompensa para Gordon”, concluiu Borrego, vendo o Jogo das Estrelas como possível símbolo da recuperação de Hayward no Hornets – e na NBA.