Kevin Garnett esteve entre os grandes craques de sua geração, mas, para muitos fãs, será tão recordado pelo estilo provocador com os adversários quanto pela sua inegável qualidade técnica. Sabendo disso, um de seus colegas de classe no Hall da Fama conta que o segredo para derrotá-lo era, antes de tudo, não entrar em seu jogo. O ídolo Tim Duncan revela que sempre fez questão de evitar o trash talk em dezenas de embates com Garnett na carreira. 

“Eu não fazia trash talk com Kevin porque isso era exatamente o que queria que fizesse. Seria jogar o seu jogo, pois tudo o que ele queria era tirá-lo e si e irritá-lo para tomar o controle da situação. Acho que reconhecia essa estratégia. E, além disso, não era o meu jogo. Você deixa um oponente frustrado quando continua fazendo lances com eficiência em cima dele. Então, não importa o que façam, você não se deixa afetar por nada”, explicou o ex-jogador, em entrevista ao podcast “Real Ones”. 

Em relatos recentes, Garnett chegou a indicar Duncan como um dos oponentes que mais incomodava-se em enfrentar justamente por esse equilíbrio inabalável diante das várias provocações que disparava ao longo das partidas. O considerado maior atleta da história do Minnesota Timberwolves dizia vários impropérios para o ídolo do San Antonio Spurs e só recebia respostas curtas de volta, como “legal” ou “bom trabalho”. Isso deixava-o absolutamente nervoso.    

“Essa foi a estratégia mais eficiente para mim e, ao mesmo tempo, fazia sentido dentro da forma como jogava. Eu não precisava e não queria provocar os outros porque nunca fui bom nisso. Sempre fui bom, na verdade, em manter-me inabalado e não mostrar as emoções. Kevin e outros falavam o que queriam e, como não respondia nada, eram eles quem reagiam ficando bem frustrados. Era isso o que funcionava para mim”, concluiu o veterano. 

Duncan é um dos reconhecidos maiores jogadores de todos os tempos, mas, diferente das grandes personalidades no panteão do basquete, sempre foi um homem calado e pouco “comercial”. Pentacampeão da NBA pelo Spurs, o ex-ala-pivô possui médias de 19.0 pontos (com 50.6% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 10.8 rebotes, 3.0 assistências e 2.2 tocos em quase 1.400 jogos disputados na liga. 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook