A história dos dias de fechamento da janela de transferências de temporadas da NBA é escrita também, várias vezes, pelas negociações que não acontecem. O presidente de operações do Toronto Raptors, Masai Ujiri, foi peça central da maior troca que terminou por não ocorrer na trade deadline ao resolver manter o astro Kyle Lowry. O executivo, porém, reconhece que não esperava que o armador fosse permanecer na equipe.

“Eu fiquei surpreso em ninguém ter batido o valor que queríamos. Sinceramente, Kyle é alguém que poderia chegar a um time e legitimar uma campanha de título. Sei que, em quaisquer das equipes com as quais discutimos, ele poderia ser a tal ‘última peça’. Digo isso porque já o vi fazer acontecer aqui”, admitiu o veterano dirigente, sem esconder ter feito altas exigências para liberar o maior jogador da história da franquia canadense.

Ujiri teria mantido negociações, em especial, com três times: ele exigia as inclusões de Tyrese Maxey e Mathisse Thybulle na conversa com o Philadelphia 76ers, não aceitava trocar com o Miami Heat sem Tyler Herro e só faria negócio com o Los Angeles Lakers por Talen Horton-Tucker. Mas, acima de tudo, todas as franquias eram destinos com os quais o armador estava confortável e não rejeitaria ser enviado.

“Eu sei que a imprensa queria uma história de adeus, mas vamos ter que adiar isso. E, se fôssemos fechar algum tipo de negociação, faríamos algo que seja certo para Kyle. Esse é o respeito que devemos a esse homem. Nossa relação vem de um bom tempo, respeitamos muito suas contribuições não só como jogador para o elenco, mas como pessoa para a nossa comunidade”, exaltou o dirigente de origem africana.

A inesperada permanência de Lowry coloca a equipe de Toronto em um aparente “limbo” para parte dos torcedores e analista: é um time que não deverá adotar o infame tank, mas, ao mesmo tempo, não parece possuir grandes pretensões competitivas em uma temporada extremamente difícil. Muita gente dirá que Ujiri errou em não negociar um atleta com contrato expirante em meio a uma campanha “perdida”, mas ele assegura que só tomou um rumo pouco usual em uma estrada com várias saídas.

“Houve alguns cenários que pareciam estar prestes a serem fechados e não acabaram sendo finalizados. Talvez, nós tenhamos perdido uma oportunidade. Mas eu acho que, pensando em longo prazo, ganhamos outras chances também. O fato é que, por todas as adversidades que esse time enfrentou até agora, podemos partir em direções muito diferentes a partir de agora”, especulou Ujiri, que ainda pode trocar Lowry envolvendo-o em uma negociação de sign-and-trade no segundo semestre.