O astro Zach LaVine passa a ser elegível a uma extensão prévia com o Chicago Bulls na próxima offseason, mas, aparentemente, não vai acontecer. De acordo com A. Sherrod Blakely, do site Bleacher Report, o ala-armador não pretende assinar um novo contrato com antecedência e pretende ser agente livre irrestrito no ano que vem. Isso não quer dizer, porém, que a sua intenção no momento seja deixar a franquia de Illinois.

A motivação para não fechar um acordo prévio é financeira: o jogador de 26 anos terá ganhos muito maiores aguardando para assinar um novo vínculo em 2022. Em agosto, ele vai poder receber uma oferta máxima de US$104.8 milhões por quatro temporadas para seguir no Bulls. Esperando mais um ano, o teto de sua extensão com a equipe de Chicago tende a subir para a faixa dos US$201 milhões por cinco campanhas.

Nesse momento, a aposta unânime nos bastidores da NBA é que LaVine queira ficar no Bulls em longo prazo – e essa percepção, na verdade, somente aumentou após a trade deadline. O time teve uma aparente queda de rendimento em abril, mas a atitude da direção em adquirir o astro Nikola Vucevic antes do fechamento da janela de trocas foi um sinal importante da organização para o seu principal atleta.

“Jogadores querem ser bem pagos, mas também desejam vencer e Zach está na NBA há tempo o bastante para saber que não se ganha sozinho. Até LeBron James precisou de ajuda para chegar lá. Por isso, a aquisição de Nikola foi realmente importante: a equipe está mandando uma clara mensagem para Zach de que tenta montar um time vencedor agora”, afirmou um dirigente da conferência Leste, em anonimato, a Blakely.

Outra alternativa à disposição do Bulls para garantir a manutenção de LaVine seria uma renegociação contratual na offseason, mas isso traria desafios do ponto de vista salarial. A direção de Chicago, essencialmente, precisaria abrir aproximadamente US$15 milhões em espaço na folha para fechar a reestruturação. Dispensar Thaddeus Young e abdicar dos direitos sobre Lauri Markkanen poderia ajudar a alcançar tal flexibilidade.

Um dos melhores alas-armadores da NBA, LaVine foi trazido pela equipe de Chicago em 2017 e tornou-se a referência técnica da equipe nos últimos anos. Suas excelentes atuações foram premiadas sendo escolhido all-star pela primeira vez em 2021. Em 53 partidas disputadas na campanha, ele registra médias de 27.5 pontos, 5.1 rebotes e 5.1 assistências – todas, maiores marcas pessoais na liga.