primeira vitória do Los Angeles Lakers na temporada teve, certamente, significado especial para o veterano Carmelo Anthony. O craque saiu do banco de reservas para liderar o triunfo contra o Memphis Grizzlies anotando 28 minutos, incluindo seis cestas de longa distância. Assim, ele alcançou 27.423 pontos na carreira e superou o lendário Moses Malone para tornar-se o nono maior cestinha da história da NBA. 

 

“Eu ainda estou aqui, jogando basquete. Isso é o que, por fim, deixa-me mais animado. Esta é a 19a temporada da minha carreira realizando o que sou capaz dentro de quadra enquanto um apaixonado pelo basquete. Ainda sou apaixonado, aliás, em treinar todos os dias e melhorar. E que melhor noite para conseguir tal feito, então, do que em uma vitória tão necessária?”, celebrou o ala, em entrevista após o triunfo por 121 a 118. 

Carmelo anotou 18 dos seus 28 pontos no segundo tempo ao passo em que realizava a sua melhor atuação no Lakers. A marca histórica foi atingida após duas cestas de três convertidas em sequência no terceiro período. Ele ainda acertou dois lances livres que asseguraram a vitória angelina com 1.9 segundo no cronômetro e, como resultado, encerrou sequência de oito derrotas seguidas (somando pré-temporada) do time. 

“Geralmente, quando um dos meus amigos consegue uma façanha desse tipo, eu ligo ou falo algo nas redes sociais. Pude testemunhar hoje, pois foi um companheiro de elenco. Então, para mim, foi mais especial. Carmelo joga basquete em alto nível há tempos e é lindo continuar a vê-lo em quadra. E isso, especialmente, porque houve um momento em que desistiram dele”, exaltou LeBron James, amigo de longa data do ídolo. 

 

De desacreditado a recordista 

Houve um instante em que, de fato, a carreira de Carmelo parecia encerrada. Ele passou mais de um ano sem time, entre novembro de 2018 e 2019, até conseguir reerguer-se. O astro não somente revitalizou a sua carreira com o uniforme do Portland Trail Blazers, mas também mudou sua imagem para muitos fãs da liga. Ao mesmo tempo, reformulou seu estilo de jogo para tornar-se um role player muito competente.  

“Ninguém queria contratá-lo há alguns anos, sabe? Estavam descartando e duvidando da qualidade desse cara. No entanto, ele continuou treinando. Seguiu profissional até que Portland desse-lhe uma chance e, a partir disso, reconstruir seu nome nessa liga. Aqui, sobretudo, ele está fazendo o que sempre fez. É uma honra tê-lo em nosso elenco e, finalmente, ter a chance de jogar ao seu lado”, reconheceu Anthony Davis. 

 

Virar o nono maior cestinha da história da NBA encerra, aliás, uma ótima semana para Carmelo. O craque de 37 anos já havia sido eleito, anteriormente, como um dos 75 melhores jogadores da liga em lista oficial comemorativa. Quem vê os quase 28 mil pontos na carreira pode ter a impressão de que essa marca foi relativamente simples, mas o ala garante que é produto de uma vida de dedicação.  

“Pontuar não é fácil. Pode parecer fácil, mas não é. É o resultado de duas décadas de repetição. De todos os dias, férias e temporadas trabalhando. Estou coletando essas glórias hoje porque a minha persistência e abordagem estão sendo premiadas. Além disso, não se engane: quero continuar fazendo isso. É tudo o que importa, no fim das contas, para mim”, concluiu o futuro integrante do Hall da Fama. 

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:  

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER