O Indiana Pacers pode começar a segunda offseason consecutiva em busca de um novo treinador no mercado. Segundo Adrian Wojnarowski, da ESPN, os executivos do Pacers estariam considerando seriamente a demissão de Nate Bjorkgren após somente uma temporada como técnico da equipe. Nesse momento, internamente, o futuro do jovem comandante no posto seria visto como altamente incerto.

O ex-auxiliar do Toronto Raptors acumula uma série de problemas de relacionamento e comunicação com jogadores e dirigentes que já datam de muito tempo. De acordo com Scott Agness, podcaster e veterano jornalista na cobertura do time, as diferenças entre o treinador e diversos entes já datam (discretamente) desde janeiro. Múltiplas pessoas descrevem o vestiário de Indiana como “quieto e desconectado”.

E os problemas vão além: os métodos de trabalho de Bjorkgren não estaria sendo bem absorvidos e aceitos pelo elenco. Os repórteres Shams Charania e Sam Amick, do site The Athletic, o profissional trouxe uma abordagem altamente baseada em estatísticas avançadas que os atletas teriam rechaçado. Domantas Sabonis e Malcolm Brogdon já teriam manifestado, inclusive, descontentamento a dirigentes.

É preciso apontar também, no entanto, que os problemas da temporada de Indiana vão muito além de questões pessoais e discordâncias internas. A equipe teve um início de temporada surpreendente e chegou a liderar o Leste, mas desabou na classificação por conta de uma série de lesões. Os titulares Sabonis, Myles Turner, Caris LeVert e T.J. Warren já perderam, no mínimo, quinze jogos cada por problemas físicos.

A demissão de Bjorkgren seria uma enorme admissão de erro por parte do Pacers, que promoveu a mudança de técnico na offseason para tentar encerrar uma sequência de cinco eliminações seguidas na primeira rodada dos playoffs. Hoje, o time de Indiana ocupa a nona posição da conferência Leste e entraria na repescagem como “azarão” para conseguir uma vaga na pós-temporada.